sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Narração: elementos básicos (resumo)

Um comentário:

Lucas Gontijo disse...

ESTADOS UNIDOS POTÊNCIA
Atualmente os Estados Unidos são considerados a principal potência do mundo, mas essa condição alcançada não ocorreu repentinamente, foram necessários vários fatores para que este se consolidasse como uma das nações mais importantes do planeta.

As raízes do crescimento econômico norte-americano foram fundamentais para o seu desenvolvimento. Foram menos de quatro séculos para que os EUA passassem da condição de colônia para superpotência, um dos motivos para essa transformação rápida foi a ascensão econômica no sul, que tinha como principal atividade a produção monocultora, pois o sul possui clima de características tropicais favoráveis ao cultivo, já no norte as atividades eram distintas, esse apresenta clima temperado, no sul a economia era voltada para o comércio, possuía os principais centros urbanos, surgiram as primeiras indústrias e instituições financeiras.

Os EUA contavam com diversos recursos naturais que eram extremamente importantes para as indústrias que estavam surgindo no nordeste, isso desencadeou vários avanços. Esses impulsionaram a aceleração comercial como a expansão do mercado interno que gerou prosperidade econômica, maciços investimentos em mineração no século XIX, aumentando ainda mais a produção.
No final do século XIX, a descoberta e a extração do petróleo deram novos rumos à economia norte-americana, pois esse momento promoveu uma revolução nos transportes, com a criação do automóvel pelo empresário Henry Ford. Esse criou um novo modelo de produção na linha de montagem, e uma nova forma de ver o mercado, para ele a produção deveria ser em massa, assim como o consumo, o trabalhador deveria ter momentos de descanso para poder consumir os produtos das indústrias.

A ascensão da economia norte-americana deve-se principalmente pela intensa acumulação de capital ocorrida na segunda metade do século XIX.
No início do século XX, o país já possuía grandes empresas que detinham os monopólios do petróleo, aço, automóveis e ferrovias.

O crescimento da economia norte-americana também foi propiciado por acontecimentos históricos como a Primeira Guerra Mundial (1914-1918), e a Segunda Guerra Mundial (1939-1945) momento em que a Europa se encontrava em reconstrução, então os EUA forneceram empréstimos e mercadorias, resultando num gigantesco crescimento do PIB e se consolidando definitivamente como a maior potência mundial.

A expansão das multinacionais e do comércio ocorreu a partir da segunda metade do século XX, as multinacionais norte-americanas dominaram ainda mais o processo de acumulação de capitais, os investimentos nas multinacionais ocorreram primeiramente em países europeus e depois em mercados em expansão como os países subdesenvolvidos.

As primeiras multinacionais norte-americanas foram GENERAL MOTORS E FORD, TEXACO e ESSO, COCA-COLA, NABISCO, JOHNSON & JOHNSON e GILLETE. A expansão das multinacionais norte-americanas no mercado internacional intensificou o ritmo de crescimento econômico, foi grande gerador de fluxos de mercadorias, hoje o comércio externo americano corresponde a 16% do total mundial, o país mantêm relações comerciais com grande parte das nações.
www.mundoeducacao.com.br





China Mega Potência Global? Não me faça rir.

Recentemente vi uma reportagem sobre brasileiros vivendo em Beijing. Era uma dessas matérias típicas de período de grandes competições esportivas, nada de muito novo, exceto pelo fato de que buscava mostrar como é viver num país não muito afeito ao convívio com estrangeiros. Uma das brasileiras entrevistadas inclusive dizia que em 13 anos vivendo em Beijing jamais foi convidada a entrar na casa de um chinês e que os amigos que ela tinha feito nesse período por lá, eram todos estrangeiros como ela.
Mas porque estou falando da reportagem? É que essa matéria corrobora com um dos pontos de minha teoria de porquê a China não será uma nova potência mundial. Se pegarmos os livros de historia, e olharmos com atenção as características de todos os grandes impérios globais será possível notarmos que algumas características eram comuns a todos eles. Mas uma que me chama atenção, e que não vejo entre os chineses é o fato de que todos os impérios globais possuíam um certo intercambio cultural muito forte, eram sociedades não estanques, justamente por serem globais e perceberem seu papel nisso. Roma e Inglaterra tinham isso, os EUA tem. Essa coisa de não só exportarem parte de sua própria cultura como também de receber e aglutinar a cultura alheia num processo de troca. A China não possui, nunca possuiu e é quase certo de que nunca irá possuir.
Outra coisa que faz com que eu não acredite numa China tomando o lugar que é atualmente dos EUA. A importância econômica da China no mundo atual é meramente de mercado consumidor, alguns bilhões de habitantes não é algo que se deva jogar fora. Como produtores, os chineses possuem apenas uma mão-de-obra barata ( fruto de um certo trabalho escravo?), mas a maior parte do “Made in China” é constituída de produtos cujas marcas e patentes são de empresas ocidentais ou japonesas. A China não possui nenhuma mega empresa ou grande multinacional de sua própria bandeira. E o que é realmente de origem chinesa, isto é, produtos feitos na China, por empresas chinesas são artigos de qualidade duvidosa, em muitos casos até roubo de patente.
Portanto, se você é daqueles que acha que a China é um novo império, somente pela torcida de ver alguém ocupando o posto dos EUA, sinto muito ainda não será dessa vez. Não gosto dos EUA como única mega-potencia. Mas desde os anos 80 que vejo dizerem que país tal ocupará o lugar dos EUA, já foi o Japão nos anos 80, a Europa Unificada nos 90 e agora a China. Quem será a próxima potencia da vez? A Índia? http://alanbarrosnogueira.blogspot.com/2008/07/china-mega-potncia-global-no-me-faa-rir.html


ENTÃO:
Pontos de vista e fatos concretos ilustram os dois textos acima, temos como fato incotestavel o imperialismo americano que detem até então o posto de maior potencia de mundo, economica e militar.
Podemos observar tambem no texto da china o porque a china não se tornará uma potencia mundial, “na opnião do responsavel pelo texto”, mas tambem poderia adicionar muitos outros porques, poderiamos tambem adicionar inumeros motivos de ela “não”ser uma potencia mundial, como por exemplo o fato de ela e a india deter 42% da fome no mundo, mas sim claro poderiam os mais otimistas observar q esses dois paises detem mais ou menos um terço da população mundial, mas o FATO é esse, a não ser q eles pensem em exterminar a população pobre serão necessários mais “algum”tempo pra que a cinha se torne uma potencia mundial.
Não sou adimirador do imperialismo americano e tenho um conceito formado sobre eles, porem não sou estupido ao ponto de ignorar ou desconsiderar o fato de ela “ser” atualmente a maior potência do mundo, mesmo que ao “meu”ver varios outros paises vivem realidades melhores em relação a espectativa de crescimento, mas o fato concreto é que ainda temos os Estados Unidos como detentor do titulo MAIOR POTENCIA MUNDIAL.

Lucas Augusto Gontijo Borges
16/03/2009